Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desabafando

Eu preferia ter morrido ao invés de ter passado pelo que passei no dia de natal de 2013.
Foi um golpe duro que me magoou e me deixou desconcertada, quem eu acreditei que me amava, nunca me amou, fui apenas um brinquedo um passatempo para ele.
Sentimentos dele por mim nem de amizade, as pessoas são egoístas por natureza, elas sempre vão em busca de seus objetivos sem se importarem com o que o outro sente.
Nunca entendi o porquê de estar passando por tudo isso, nunca desejei a ninguém ser traído, enganado, iludido, humilhado, magoado dessa forma. Nunca o fiz com ninguém mas talvez eu mereça passar sempre por algo ruim.
Felicidade nunca foi feita para mim, acho que minha sina é sofrer sempre, sem descanso, sem o direito de ter alívio, não mereço ser tratada com respeito ou talvez com consideração, eu devo ser sempre usada como um copo descartável e que não serve pra ser reutilizado.
Acreditei verdadeiramente em promessas, sonhos e planos que nunca passaram de mentiras de um cara que jurava amar mas que nunca saberá o que isso significa, e mais uma vez estou aqui, chorando, sofrendo por feridas que teimam em não cicatrizar.
Peço perdão a Deus, mas preferia ter morrido do que estar sofrendo por quem nunca perdeu um minuto de seu tempo para saber se estou bem, que nunca perdeu um segundo de seu tempo para pensar será que vou magoar ela?
Além de me magoar, fui ferida de um modo que não sei se vou conseguir superar, por mais que eu queira estar com alguém vai ser muito difícil para mim acreditar em amor ou em amizade, sempre desconfiarei.
Eu ainda estou sofrendo muito pelo golpe, saber que nunca fui nada, que nunca passei de um jogo, de uma brincadeira estupida e sem graça, onde a idiota aqui foi alvo de uma vingança patética e cruel de um homem que nem merece o título de homem.
Planos todos temos, sonhos sempre temos, mas sempre existirá um cretino que fará você se sentir um lixo, um resto que não se usa mais.
Eu desejo de todo o coração que eu consiga superar, que eu consiga esquecer, e juro que até hoje não entendi o porquê de eu estar passando por tudo isso, me livrei de um cretino, mas a ferida ainda está aberta, dói e como dói, tenho medo de me envolver com alguém novamente e esse fazer o mesmo, já que eu sou o tipo de pessoa que sempre é usada por quem se ama e sempre se é jogada no lixo como um traste velho e sem utilidade.
Jullian Petra
Enviado por Jullian Petra em 02/03/2014
Código do texto: T4712649
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Jullian Petra
Rio Largo - Alagoas - Brasil, 41 anos
96 textos (8411 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/05/21 18:18)
Jullian Petra