Democracia - alguns pingos nos is.

O regime democrático, longe de ser a solução verdadeira ao ímpeto humano de dominar os semelhantes, nada mais é do que uma sucessão de pequenas ditaduras autolimitadas. As primeiras decisões de qualquer maioria versam sobre as imposições que serão feitas às minorias. A democracia pode, então, ser assim definida: a ditadura da maioria, que pouco ou nada se importa com o que as minorias pensam. Com um pouco de senso crítico, a democracia já não é um conceito tão romântico, não? E, pior, as ditaduras passam a ser palatáveis. O problema não está nos regimes, está no ser humano. Talvez tenha sido com um pensamento semelhante a esse que se iniciou o processo constitucionalista, cujo objetivo central não é outro senão limitar o poder do Estado contra as arbitrariedades que podem ser cometidas contra os cidadãos. A democracia talvez seja parte do meio do caminho. Mas devemos lembrar que ainda estamos a percorrê-lo, e muito distantes de qualquer destino que se pareça com um "lugar" de igualdade, equilíbrio, respeito, justiça ou, muito menos, solidariedade e fraternidade.