Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O que é o amor?

O que é o amor?
Uma súbita explosão de carência que se manifesta no mais próximo?
A Constante sucessão de encontros "acidentais" que acabam por aproximar dois ou mais indivíduos?
A convivência afetiva prolongada que equilibra os egos?
Certa vez eu disse: "Assim como o frio é a ausência de calor, seria o ódio a ausência de amor?", ainda tenho esta dúvida. Que convenção é esta imposta que nos priva da liberdade, que nos torna dependentes de algo. Dizem que o conceito "amor" foi criado nos primórdios da civilização, devo imaginar o sôfrego que escreveu pela primeira vez esta palavra.
Eu amo, Tu amas, Eles amam, Vós amais, Eles amam, mas será que nós amamos?seria apenas uma ilusão ou faria ele parte da verdade? Desculpo-me se aumento a dúvida, mas ainda não está bem construído em minha, creio, sã mente o porquê disto existir. Muitas vezes, e quando digo muitas são muitas mesmo, este sentimento nos faz sofrer, seja quando não se é correspondido, quando não o é verdadeiramente ou pior, quando o objeto amado se vai, mesmo estando existente ou essencialmente. A experiência me diz que deve tomar-se muito cuidado ao pensar que amas algo, pois pode ser apenas uma das hipóteses citadas acima, ou pode não ser nada. Certa vez (de novo) eu disse: " Não devo mais amar", então amei e tudo era belo, pensei que tinha deixado de ser amado e tudo ficou cinza, descobri que não tinha deixado de ser e voltei a sorrir, como uma criança que recupera a sua alegria.
Felizmente hoje posso dizer que sou livre, mesmo amando. Esse ápice creio ser atingido por poucos, pois amo e sou amado sem ter ao meu alcance o ser amado, sem sofrer.
Amor, o que seria, apenas uma palavra ou apenas fantasia, apenas instante ou toda a vida, sou livre sim, vejo o amor nas plantas, no sol, na existência e na essência, vejo o amor em mim e em seu olhar. Tenho a vida inteira para amar, é breve, mas é suficiente.
Amor é acima de tudo libertar e ser liberto, é saber crear alegria, é saber sorrir, saber abraçar.

Certa vez (novamente) eu disse: "Eu te amo", hoje eu digo: "Eu amo".
Rhuan Zgoda
Enviado por Rhuan Zgoda em 14/08/2007
Código do texto: T607015
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rhuan Zgoda
Curitiba - Paraná - Brasil, 31 anos
21 textos (1572 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/19 12:15)
Rhuan Zgoda