Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOLIDÃO

Ninguém consegue mensurar a dor,
Há tempos nem mesmo a compreendo.
Tem dias que procuro esquecê-la,
Tem dias que ela se faz lembrar,
Tamanha é a intensidade em sua volta,
Que muitas vezes a sinto me levar,
Saber-se vivo embalado pela morte,
Que suplico pela sorte de ir com ela.
Não sei fingir meu sorriso ou nuances de paz,
Nem tão pouco ofertar um amor que não sinto,
Não estou em busca de paliativos,
Ou de muletas amigas e irreais.
Vou assim saboreando o doce veneno,
Das minhas atitudes ilógicas,
Escrevendo para expor meu desengano,
Além dos meus planos que sucumbiram,
Danço nos meus sonhos a libertação,
E acordo para mais um dia de solidão.
Sonia Ferraz
Enviado por Sonia Ferraz em 01/09/2017
Reeditado em 01/09/2017
Código do texto: T6100985
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sonia Ferraz
São Paulo - São Paulo - Brasil, 64 anos
673 textos (38538 leituras)
33 áudios (5910 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/19 15:42)
Sonia Ferraz