Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A PRAGA DAS ÁGUAS EM SANGUE

Atualmente, a violência assume múltiplas facetas, a partir das quais discorremos razoavelmente neste texto.

VIOLÊNCIA FÍSICA

Violência que põe em risco a integridade física de uma pessoa.Há um livro, Cidade de Deus, de Paulo Lins, que reflete muito bem esta problemática. A história se passa no Rio de Janeiro em 1990, quando o tráfico de drogas e armas faz surgir no bairro carioca Cidade de Deus uma violência extremamente nociva para toda a sociedade. Crianças, pré-adolescentes, adolescentes, jovens e homens transformam-se em criminosos altamente nocivos. Assaltos, assassinatos, guerras fazem parte do quotidiano deste bairro, controlado por traficantes. Todos os dias corpos apareciam no rio que passava por Cidade de Deus, alguns, executados pela própria ''policia'', outros, por traficantes e lideres das facções criminosas. Existe uma cena desse livro, dentre várias outras, bastante chocante. É a que alguns adolescentes criminosos, especializados em roubos nas zonas mais ricas do Rio de Janeiro, são encontrados por um policial, o qual, junto com outro homem, prometem não fazerem nenhum mal aos garotos, com a condição que não tentassem fugir, assim, os garotos, acreditando nos dois, se entregam para o policial, que os conduz para um lugar afastado, executando-os friamente. Em Cidade de Deus existem bocas de fumo, prostíbulos, facções criminosas, policia corrupta, além de muito mais, o pano de fundo, obviamente, é composto de terror e violência.

VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL

Muitas instituições, digo, seus componentes, agem com desmascarado abuso de poder. Em Vidas Secas, de Graciliano Ramos, há uma cena muito interessante que expressa com esmero essa situação. É o famoso capitulo do soldado amarelo. Fabiano vai até uma espécie de mercearia na cidade (se não me engano), para fazer compras de mantimentos, contudo, passando o tempo, começa  beber muito e entra numa partida de jogo com cartas, fazendo uma aposta com seu oponente, um soldado com a farda amarela. Todavia, Fabiano perde o jogo e consequentemente a aposta, devendo, assim, pagar ao soldado. Fabiano, sem saber como proceder, xinga a mãe do soldado, indo parar na cadeia, onde passa a noite. Fabiano é agredido pelo soldado. Ao ser liberto, Fabiano nutre um forte desejo de vingança contra seu algoz, jurando ser capaz de mata-lo se voltar encontra-lo no seu caminho. Essa cena ilustre muito bem o poder repressor, a força e violência que muitas autoridades fazem uso, aproveitando a posição que ocupam. O famoso abuso de poder.

VIOLÊNCIA MORAL

Calúnias, injúrias e difamações dirigidas a uma pessoa. Não sei se estou certa, mas vou tentar mesmo assim. No livro Dom Casmurro, do Machado de Assis, a temática gira em torno do ciúme. Bentinho ama Capitu, apesar das barreiras impostas pela sociedade, Bentinho e Capitu conseguem ficar juntos, casam-se. Depois de algum tempo, Capitolina tem um filho, Ezequiel. Um acidente, todavia, muda toda a história. Escobar, amigo o seminário de Bentinho, morre afogado. Durante o velório, Capitolina parece estar muito comovida pelo acontecimento, despertando assim ciúmes em seu marido. Ezequiel, filho do casal, parece-se muito com Escobar. Bentinho tem toda a certeza que Capitu o traiu, desta forma, separa-se da esposa e filho, manda-os para a Europa. Apesar de Bentinho não lançar plenamente no rosto de Capitolina a ''traição'', podemos ver o quanto essa mulher, ainda que ficiconal, foi ultrajada, escarnecida, humilhada pelo próprio marido, colocando em cheque seu carácter, personalidade, valores e princípios. Muitas são as pessoas, ainda hoje, ofendidas por outros, independentemente de etnia, cor, origem, crenças, sexo.

VIOLÊNCIA SEXUAL

No livro o Caçador de Pipas, de Khaled Hosseini, o abuso sexual, dentre outros temas, é confrontado. O talibã, uma espécie de grupo extremista religioso do Afeganistão, invadia orfanatos e capturavam crianças, de ambos os sexos, para servirem como escravos sexuais. Como se não bastasse a presença do talibã, ainda há a influência das diferentes castas, apresentadas no livro, principalmente Phastum e Hazaras. Frequentemente, as castas ''superiores'' achavam-se no ''direito'' de abusarem sexualmente das pessoas pertencentes às castas ''inferiores''. Durante o decorrer da leitura, podemos perceber o quanto a violência sexual se faz presente. Sabemos que também fora do universo ficcional, este tipo de violência está extremamente presente ao nosso redor. Na Índia, país que apesar de ter decretado o fim do sistema, as mesmas ainda se fazem presentes, revelando uma forte marca cultural nacional deste país, as mulheres também sofrem constantemente violência física e sexual. Na África, algumas comunidades também submetem como valores culturais às mulheres várias violências.Por último, muitas culturas orientais, pelo seu turno, apresentam muitas diferenças na forma de convivência entre as pessoas, pesando as regras muito mais, notoriamente, nos ombros das mulheres. O machismo e misoginia contribuem, infelizmente, para esses e outros quadros lamentosos do mundo.

VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR

Quem nunca ouviu falar de Abel e Caim?
Desde os tempos remotos, a violência intrafamiliar nos acompanha ao longo da história. Como exemplo, irei citar outra cena do livro Cidade de Deus. Há uma família ''feliz'', aparentemente normal, composta por pai, mãe e bebê. Certo dia, o pai e esposo descobre uma possível traição da mulher, levando-o ao desespero, a ponto de odiar o bebê, fruto desta traição. A cena descreve justamente o episódio em que este homem mata o bebê em sua própria casa, fazendo pedacinhos da inocente. É cruel. Depois decide mandar, em uma caixinha, os pedaços da criança para a esposa, que estava na casa de uma vizinha. O crime é chocante, porém neste bairro tudo é possível, nos termos da criminalidade. Existem outros exemplos no livro de violência intrafamiliar, mas este já é suficiente.

VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA

Neste tipo de violência vem à minha cabeça o que se passa em vários ambientes empresariais. Muita das vezes, os chefes pressionam funcionários para que alcancem os resultados almejados pela organização. Intimidam, ameaçam, aterrorizam, humilham, enfim, fazem de tudo para os colaboradores fazerem seus trabalhos o mais de pressa possível. Fenômeno parecido acontece no ambiente comercial, dentre outros. Não é à toa que nos ambientes organizacionais é muito comum o estresse laboral, sem contar com a ansiedade e doenças de outra ordem. Geralmente, combinada com a violência psicológica está também a verbal, que é justamente usar palavras depreciativas para ferir as pessoas, destruindo a auto-estima. Não sei se encaixa, mas talvez sim, lembrei-me que muitos pais intimidam os filhos para fazerem um curso superior tal, em universidade x, escolherem profissão y, fica a dica, não deixa de ser também uma violência psicológica. Quanto a violência verbal, deixo como exemplo algumas letras do fank, que na minha opinião são muito violentas, principalmente referindo-se às mulheres. Não são poucas as letras altamente depreciativas.

VIOLÊNCIA PATRIMONIAL

Sem sombra de dúvidas, os patrimônios, sejam eles materiais ou imateriais, são valiosíssimos, não apenas para a humanidade, mas também para os profissionais que fazem uso desses mesmos recursos com o objetivo de compreenderem melhor nossa própria história. Isso fez-me lembrar do livro O Corcunda de Notre Dame, de Victor Hugo. Por mais incrível que possa parecer, esse livro não tem uma personagem ou personagens centrais, quando muitos pensavam ser uma história de amor, principalmente, revelando uma figura emblemática, Quasímodo. Na realidade, Victor Hugo escreveu justamente esse livro visando incutir nas pessoas o bom senso de conservação, visto que, nesta época, conjecturaram ou conjecturavam derrubar a catedral de Notre Dame, em Paris. Desta forma, uma das personagens, também, deste clássico, é a própria catedral, inclusive, o titulo original era Notre Dame de Paris. Victor Hugo, como um historiador, reconheceu tratar-se de um crime a derurrada deste monumento histórico, uma verdadeira violência, assim seu livro surge, como um verdadeiro manifesto a favor da catedral. Trazendo para os nossos dias atuais, alguns grupos extremistas e radicais do oriente tem agido como verdadeiros vândalos, destruindo patrimônios pertencentes à humanidade. Percebemos, portanto, a perpetuação da violência, com suas diferentes facetas.

Esses são alguns tipos de violência existentes, infelizmente, muitos outros existem. Precisamos debater esta e muitas outras questões, pois se nos omitir-mos, também estaremos cometendo uma violência. Uma vez, li uma frase muito interessante, ela diz:'' O mundo é um lugar perigoso para se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, e sim por causa daqueles que vêem e deixam o mal acontecer''. Fica a reflexão.
 

 

JudyLuly
Enviado por JudyLuly em 13/01/2018
Código do texto: T6225359
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
JudyLuly
Davinópolis - Maranhão - Brasil, 21 anos
41 textos (611 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/04/18 20:20)
JudyLuly