Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maiakovski - Poeta russo "suicidado" início século XX e outros e fatos atuais.

TUDO HAVER AO  LUTO DE NOSSO 7 DE SETEMBRO
__________________________________________________________

Bem vindos a mais uma oportunidades de fazer a diferença na vida de alguém.

Mas, como "PODERIA TER DITO" Maiakovski - Poeta russo "suicidado" após a revolução de Lenin - ainda no início do século XX...

Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim. E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão. E não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.

E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada.
_______________________________________________________
Depois de Maiakovski…

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário
Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável
Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei
Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

por Bertold Brecht (1898-1956)

Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista.

Como não sou comunista, não me incomodei .
No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.

Como não sou católico, não me incomodei.

No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar...

por Martin Niemöller, 1933
- símbolo da resistência aos nazistas-

AGORA NO BRASIL

Primeiro eles roubaram nos sinais, mas não fui eu a vítima,
Depois incendiaram os ônibus, mas eu não estava neles;
Depois fecharam ruas, onde não moro;
Fecharam então o portão da favela, que não habito;
Em seguida arrastaram até a morte uma criança, que não era meu filho... 
por Cláudio Humberto de 09 DFEV 2007
________________________________________________

Saquearam os cofres públicos,roubaram  tudo a céu aberto,eu calei-me.

Invandiram a OAB-DF,sem mandado ,eu vendo tudo, fiquei silente,não abri a boca.

Fui receber meus míseros proventos do  INSS,me cobram IPMF, apesar da lei coibir, do (aposentado-inválido) e novamente, como no tempo de Lenin ,devo calar-me ...até quando??? 

__ Quando entrarem de botas na minha casa, sem mandado,como está fazendo a Policia Federal,Ministério Público determinando, fazendo as vezes de magistrado....Até quando....


por Edsopn Pereira Ramanauskas OAB-ES 3528
edson@ramanauskas.adv.br
________________________________________________________

O que os outros disseram, tudo,foi  depois de  Maiakovski.

Incrível é que, após mais de cem anos, ainda nos encontremos tão desamparados, inertes, e submetidos aos caprichos da ruína moral dos poderes governantes, que vampirizam o erário, aniquilam as instituições, e deixam aos cidadãos os ossos roídos e o direito ao silêncio: porque a palavra, há muito se tornou inútil…

- até quando?...

ATÉ QUANDO FICAREMOS CALADOS, ACREDITANDO QUE ESSE GOVERNO NÃO É CULPADO DE NADA DISSO!!!!!DIZENDO "OS ANTERIORES TAMBÉM NAO FIZERAM"

ME PERDOEM OS QUE PENSAM O CONTRÁRIO, REFLITAM UM POUCO MAIS!!!! NÃO SE DEIXE ILUDIR COM FALSOS MORALISMO E PARTIDARISMOS !!

JÁ VI,ESSE FILME ANTES,SOFRI NA CARNE COM  MEUS PAIS ," A DOR SÓ DOÍ NO FIGADO DE QUEM OS SENTE"
(Machado de Assis)_______________________________________________
Edson Pereira Ramanauskas
edson@ramanauskas.adv.br
_______________________________________________

edson pereira ramanauskas
Enviado por edson pereira ramanauskas em 06/09/2007
Código do texto: T641761

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (citar o nome do autor e o site http://www.ramanauskas.adv.br/palavrasdoceu/index.htm). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
edson pereira ramanauskas
Guarapari - Espírito Santo - Brasil, 71 anos
569 textos (319022 leituras)
12 áudios (18797 audições)
228 e-livros (51588 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 07:49)
edson pereira ramanauskas