Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Caminhada

Caminhava pela rua de barro batido, numa tarde de outono, folhas das árvores rolavam uma sobre as outras parecia disputar um lugar a frete para ouvir os meus passos largos e lentos. No caminho, cerca de arame farpado com mourões queimados, cobertos de capim navalha dos dois lados da rua. Árvores que pareciam se abraçarem entre copas e soltando folhagens amareladas da estação. Ao caminhar mais alguns passos e avistar um pássaro que com o seu canto, parecia querer se mostrar ou comunicar-se com o mundo. Ao aproximar-me dele, percebi que uma de suas asas estava quebrada. Peguei o meu amigo cantor, e com o auxilio de uma tira de pano retirada da minha camisa, ajudei-o a colocar sua asa no lugar. O pássaro, sem saber como agradecer, perguntou-me porque andas tão só? Se tens na sua relação de amigos, evangélicos, empresários, atores, atrizes, dançarinos, dançarinas, trabalhadores comuns, donas de casa, professores, adolescentes, parentes, advogados, gerentes de banco.
Aí eu respondi, ando só, porque sei que já conquistei essa gama de amigos e, continuo só, porque tenho certeza que mais à frente, conquistarei outros como você.
Salvador Filho
Enviado por Salvador Filho em 25/11/2007
Código do texto: T752242

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Salvador Filho
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
34 textos (3694 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 15:40)
Salvador Filho