Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Despertar

A noite se foi e o sonho acabou
O dia nasce, desconfiado, censurado.
No caminho olhos desconfiados me seguem
Vejo nas pessoas sentimentos alheios aos meus.

Num vazio distante um caminhante
Sem rumo, direção nem sonhos.
Vacilo e me perco numa multidão insensata
Na avareza de mais um dia de melancolia.

Na rua pessoas discutem situações inversas
Futebol, política, badalações, tragédias.
Caminho no imenso vazio que se surge,
de formas e cores nas nossas diferenças.

Atrapalho-me, olho longe no horizonte, pensante.
De fagulhas e dores em sentimentos variáveis
Reflito diante de mim mesmo e vejo outros,
que mesmo no sofrimento, digna sua felicidade.

Longe, muito longe, distante.
Olho uma imagem sacra, calejada pelos anos expostos.
No seu semblante a dor da ignorância
Deixada plantada em plena luz de um sol escaldante.

Velejo em meus pensamentos atordoados
Perguntas incessantes surgem do nada.
O homem se fez réu de sua própria existência,
Na fúria da maior prova da intolerância humana.

Francisco Amorim
Enviado por Francisco Amorim em 29/02/2008
Reeditado em 29/02/2008
Código do texto: T881400

Comentários

Sobre o autor
Francisco Amorim
Aparecida de Goiânia - Goiás - Brasil, 61 anos
42 textos (1657 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/05/21 16:32)
Francisco Amorim