Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As Teias da Vida

O relógio eternamente suspenso
Sobre a cabeceira da minha vida
Bate horas, geme, matraqueia,
Em seu contínuo e rápido avançar

O relógio que rege o meu senso
Todas as horas desde a partida,
Nunca para, tique-taqueia
Tal a aranha, tecendo uma teia.

A intrincada rede de fios
Por onde passa o meu destino,
Meus infortúnios, meus desvarios
Seja eu homem, seja menino

Por vezes solto, outras enredado
Iludo a aranha, ou sou enganado
Mais que me ache da teia apartado
De nada adianta, o fim está traçado

Enquanto o vento, sopra caprichosamente
E a trama se altera ao sabor do seu soprar
Sigo vivendo, seguindo com a corrente
Aprendendo, ouvindo, e tentando amar.

E assim segue a vida, entre as teias do tempo
Não se trata da aranha, sua teia arrebentar
É aprender que a vida acontece a contento,
No espaço vazio entre os fios que na trama há.
Odemilson Louzada Junior
Enviado por Odemilson Louzada Junior em 31/08/2009
Código do texto: T1785248
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Odemilson Louzada Junior
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 45 anos
299 textos (14056 leituras)
1 áudios (33 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/11/19 06:35)
Odemilson Louzada Junior