Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No canto da sala

Parece que tudo escureceu
Os quintais ficam planos
Os abajus desligados
E no canto da sala o olhar.
O olhar preso em idéias.
Pedaços desfeitos...
Cantos abertos...
Não vivemos sós.
Primeiro somos nuvens,
Pedaços sem sonhos.
Depois somos vida,
Recanto de cada ser...
Subtraio as essências de tudo
E sinto as células se retraindo
Se machucando
Uma a uma...
Primeiro raiz, depois caule, galhos, folhas, frutos.
Imagino o olhar.
Não tem mágoa nele.
Apenas a constatação da luz
Do abajur apagado
Me recinto e vejo: tudo escureceu...
Tudo se pintou de negro.
O azul perdeu o lugar.
O branco se assustou.
Nada orgânico.
O inorgânico se evidencia.
O vazio se preenche do nada...
Os sinos tocam.
Um.
Dois.
Três...
Três badalas.
O tic-tac do relógio me incomoda.
Passam-se os minutos,
Segundos, milésimos...
E no canto da sala só o OLHAR.


Andie Farias
Enviado por Andie Farias em 04/02/2007
Reeditado em 16/11/2010
Código do texto: T369329
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Andie Farias
Maceió - Alagoas - Brasil
88 textos (6543 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 02:12)
Andie Farias