Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E ASSIM, NASCE UM POETA

Unidade vital
Princípio de tudo
Na expressão do Verbo

E destarte movimenta-se
Ininterruptamente
No então alento de su'alma
A estar em perfeita comunhão
Com a vida
Com o mundo
Com tudo

E nada escapa aos seus olhos
Aos seus ouvidos
Ao seu tato
Ao seu olfato
A que nada foge aos seus sentidos
Nada... nada... nada

Ah! Alma viva!
Para tudo
Para todos
Para a Vida

E, então, começa...
Sobre as linhas de seu limitado e virgem impresso
A que à própria Vida se entrega... tudo o que há nela
Sem medo
Sem receio
Qual semente que se sacrifica em seu fértil solo
E fecunda
E germina
E nasce
A que por fim... lança acima do solo:
As sentenças vívidas de seus versos

Na melodia de su’essência
Na harmonia de seus movimentos
Nos acordes de sua cadência:
A sua verdadeira música

E desta forma, vem ao mundo
Naquele místico e irrepetível instante
O que melhor existe... n'alma um poeta
Paulo da Cruz e Fausto de Deus
Enviado por Paulo da Cruz em 29/07/2017
Reeditado em 29/07/2017
Código do texto: T6068624
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Paulo da Cruz
Curvelo - Minas Gerais - Brasil
2084 textos (34597 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/01/20 14:48)
Paulo da Cruz