Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CORAÇÃO DE UMA MULHER

O coração de uma mulher!
Incandescente e formosa lua
A incendiar o escuro horizonte do homem... ébrio de amor
Neste seu incrível mundo de enigmas... e de mil mistérios
Ilimitado universo de magia ...
E quantos segredos!
Mas, qual seria o homem verdadeiramente digno dele?
Haveria algum?

    O coração de uma mulher!
    Este esfíngico baú de su'alma
    Qual fechado cofre em que somente ela a saber sua real combinação
    Neste surreal espaço de seus secretos pensamentos
   
       Ah, quem seria, pois, o merecedor de sua chave... de seu sigilo?
       Existiria algum credor de suas graças
       A qual fosse ela, pois devedora?
       Não! Definitivamente não!
       Impossível!
       Dos fechados arcanos de seus perfumes... em su'alma abrigados
       Os quais concede ela a quem queira...
       Mas somente ela...
             
          O coração de uma mulher!
          Verdadeiro fascínio lisérgico... a parecer até... incongruente
          Ou às vezes... ilógico
          Dos compassados sons a vibrarem em seu vital espaço
          A caminhar por entre as sombras e luzes do mundo
 
Ah, mulher!
Deslumbre fantástico em suas formas... seus contornos... seu garbo...
Que homem poderia resistir-lhe a sua tentação?
Que homem seria mais forte que seu feitiço e sedução?
Haveria algum?
Não! Não haveria... sequer nenhum

 O coração de uma mulher!
 A alvejar o pobre homem em seu êxtase e fatal magnetismo
 Fostes tu, mulher, que convencestes Adão a fazer o que ele não queria
   
         Fostes tu, mulher, a responsável por o excluíres do Paraíso
         Fostes tu, mulher, que arrancastes o segredo de Sanção
         E, assim, dele roubastes-lhe toda sua força
         Cegando-lhes seus olhos
         Àquele que já era, por ti, cego de amor

O coração de uma mulher!
Impreciso por palavras
Bate por amor... bate de ternura... bate por paixão...
Mas não tem definição
Dos movimentos a manear de seu airoso e bem desenhado rosto
     
        De sua expressão absoluta de vida
        A que não se prende a vazios vocábulos
        Não se limita a vagos conceitos
        E destarte, encontra-se além das palavras
        A fugir de toda a lógica e raciocínio
        A escapar de toda a razão...
 
Ah! Miseráveis de nós, homens
Eternos cativos...
Do encanto...
Da beleza...
Do mistério...
E do amor...
Do coração de uma mulher...

Paulo da Cruz
Enviado por Paulo da Cruz em 18/12/2015
Reeditado em 19/01/2018
Código do texto: T5483877
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Paulo da Cruz
Curvelo - Minas Gerais - Brasil
2062 textos (33707 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/19 09:09)
Paulo da Cruz