Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Corpos Pendentes

Sou um corpo andante, com pensamento perto de quem está distante, olho para frente não vejo o horizonte, uma fumaça escura atrapalha meu olhar pensante, sou um viajante,  com a luz que me guia viajo noite e dia em uma viagem fascinante.

Vejo vários corpos pendentes, viajando pelo escuro dos inocentes,   Que estupra e mata com um olhar cadente, são zumbis sem mentes, vejo a água suja viajando pelo o rio, sementes podres com o coração vazio.

Vejo às lágrimas caírem  dos olhos, vermelha e salgada, grossa como óleo, corpo vagante como animal no cio, nas veias corre o sangue sujo e frio, vivem da fraqueza dos inocentes, o corpo é fraco mas mata gente, almas escuras e pendentes em corpos decadentes.


Sou um corpo paralisado, que chora por amor quieto e calado, e aonde eu for, vou ser julgado, porque o mal no meu corpo não entra, ele é fechado, sou filho de Deus e inimigo do Diabo.

Não é intendente a mente da fraqueza dos indecentes  são vírus pendentes na memória dos inocentes, são fumaça escura vagando nas ruas de muita gente. não entendeu? leia novamente!!!
Jairo de Souza
Enviado por Jairo de Souza em 20/10/2018
Código do texto: T6481699
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Jairo de Souza
Araucária - Paraná - Brasil, 35 anos
120 textos (4851 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/01/20 09:08)
Jairo de Souza