Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LAMENTO DE MULHER


Meu bem amado já não me ama
Com seus olhos azuis ele se quer me engana
Já não profana a doce palavra
Não sussurra no meu ouvido o amor

Já não escuta o meu lamento de mulher...

Resta hoje a lágrima  nos meus olhos
A embriaguez da minha solidão
Faz-me sofrer esse meu poeta
Dilacerando o sôfrego coração

És tu o meu caminho homem
Tu és a minha estrada
As minhas sandálias
Os meus pés
A minha direção nas madrugadas

És tu a minha vadia bússola!

A lava quente que era a nossa paixão
Um vulcão ardente em erupção
Hoje é tristeza, é tempestade de neve
É uma dor carregada
Um amor eterno que hoje se revela breve

Faz-se pesado o pranto que outrora era amor, era leve

Hoje eu sigo sem o meu abrigo
Meu ombro amigo
Sem o olhar e a poesia daquele que tanto me amava
Sem a loucura sóbria que me abria à mente
Que me abria as pernas num desejo ardente
Beijos quentes, atos insanos, inconseqüentes

Um amor tão forte que até parecia loucura
Meu poeta tinha toda uma perfeita simetria
Uma singela mistura
Tinha toda a libido do capeta e do anjo a mais tenra ternura

Polak
Enviado por Polak em 26/02/2007
Código do texto: T394470


Comentários

Sobre o autor
Polak
Curitiba - Paraná - Brasil, 35 anos
69 textos (3899 leituras)
5 áudios (291 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/20 05:33)
Polak