GLICÍNIAS

Sob as glicínias intactas,

E o emergir destes teus poemas-cactos;

Faço mais silêncio que a ventania percorrida em teus passos,

Inda preencho o nevoeiro desta temperança

Com o motivo elegíaco de tua infinita andança,

para sempre longe de mim...

Ainda sob a elegância malva da florada,

Tu, chuva morna que alagaste meus olhos;

Cesse a ode adônis da desesperança,

Ao menos conceda o verso,

e assalte as tulipas

em meus lábios que nunca cicatrizaram...

Dylla Vicente
Enviado por Dylla Vicente em 20/06/2019
Reeditado em 16/10/2019
Código do texto: T6677788
Classificação de conteúdo: seguro