Tinta no Papel

Eu escrevo para que o corpo sinta

E os olhos assistam à força do pensar.

Para que as mãos bailem no papel

A forte emoção do prazer, do sentir, do gozar.

Sentir a brisa suave tocando o tempo,

Sentir o beijo dado em teu corpo,

Sentir a primavera a chegar suave

Com o perfume das flores.

Eu rabisco as folhas movida pelo desejo,

Desejo forte de despejar a tinta

E as letras compulsivas colorir a página.

Eu acordo o mundo escrevendo versos.