Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EFEITOS COLATERAIS DO DINHEIRO

É a roda que gira nossa sociedade
Porém muito paradoxal sua utilidade
Migra-se para o mal no piscar de olhos
Quando desumanos querem aos molhos

Seja o campo político para desviar prioridades
Sem políticas públicas e gerando desigualdades
Também no campo empresarial aparece tal vilão
Quando o empregador sem amor quer escravidão

Na vida afetiva representa bom atalho
Fácil de atrair sem conhecer bem o galho
Despreza-se inserir na relação cumplicidade
E uni casais movidos por interesse e falsidade

O dinheiro segrega até velhos amigos
Nega-se até bom dia pense num castigo
Perdem-se logo aquela vida de irmandade
Se o outro não apresentar boa prosperidade

O papel bordado é motivo para guerras e ambições
Alguns até se apropriando de bens das outras nações
Ocorre beligerância muitas vezes com desumana sanha
Lideres viram inimigos maior retrato de uma cruel façanha

E pela vontade de acumular muito o vil metal
Não tem limites mesmo com impacto ambiental
Quantas regiões sofrem pela ação de tal ganância
De governantes avarentos e avalistas dessa infâmia
 
Venalidade corrompe até pelo campo de futebol
Árbitros pulverizando seu alvo como bom aerossol
Sem menor cerimônia mudam até o curso da partida
Provando que dinheiro revela é consciência apodrecida

E o que dizer de muitos veículos de comunicação
Para acumularem vinténs corrói a própria reputação
Distorcem fatos manipulando para sua pseudo verdade
Mesmo que os apoios se tornem nocivo a toda sociedade

Mas quem falou que na justiça falta o seu mercenário
Células de togas insatisfeitas remunerada do erário
Bacharéis com vida privilegiada até em punições
Está aí uma brecha para prática de armações

Há também famosos sinecuras de esferas governamentais
Parasitas sugadores de boas rendas sem esforço reais
São aqueles amiguinhos de quem delega seu poder
Ficam só pegando soldo que não faz por merecer

Não poderia deixar de falar dos históricos judas
Aqueles que por pecúnia sua moral faz curvas
Estão sempre a articular nojenta barganha
Isso é o dinheiro pai de toda artimanha

FERNANDO ARÁBIA
Enviado por FERNANDO ARÁBIA em 14/01/2021
Reeditado em 15/01/2021
Código do texto: T7159261
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
FERNANDO ARÁBIA
Gravatá - Pernambuco - Brasil, 54 anos
231 textos (5262 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/01/21 05:33)
FERNANDO ARÁBIA