SEI QUE SOU!...

Sou a sombra de um passado

Sombra de um amor que morreu

Sombra de dias felizes compartilhados

Que o coração não esqueceu

Sou o canto triste mergulhado no tempo!

Sou a poesia de amor inacabada

Sou o grito do poeta, solto ao vento

Que por amor uma lágrima chorou...

Sou o vôo solitário da águia

A buscar a montanha mais alta

Na vastidão do mundo, o ninho construir!...

Para fugir do extermínio e devastações...

Sou o canto triste do rouxinol

Na busca incessante por seu companheiro

Sacrificado na depredação indevida da natureza

Na inconsciência dos gananciosos

Sou fogo, sou água, sou terra!...

Sou o sangue derramado na guerra

Sou a fome da criança maltrapilha

Sou o medo de um futuro tristonho

Sou o marco entre o passado distante

E o futuro que sem ilusões vemos adiante

Sem que possamos nada fazer

A não ser em nosso canto denunciar

Sou o reflexo no espelho

De alguém que neste mundo foi e é verdade

Sei que sou a ilusão de meus próprios sonhos

Sou de ti a saudades mergulhada no que não sou.

Sou e serei, lágrima e pranto, em verso!...

Até o dia que a inconsciência chegar

E não mais dores terei para sentir ou cantar

E enfim pela vontade de Deus eu descansar.

Santo André

SP-BR

CARMEN CRISTAL
Enviado por CARMEN CRISTAL em 12/04/2005
Código do texto: T10910
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.