DISSESTE

Disseste:

faz de conta...

e eu faço,

ou tento...

em parte consigo

mas fazer de conta

que nada acontece comigo

quando as águas azuis do teu mar

invadem silenciosamente meu rio,

é impossível, te digo...

é um encontro perfeito,

uma conversa tão plena,

eu, com tanto pra dizer,

desisto: cala, não vale a pena.

não vale a pena falar.

Este diálogo mudo,

sem palavra nenhuma,

nenhum gesto,

já diz tudo.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 18/04/2005
Código do texto: T11830
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.