EMPRÉSTIMO SEM DEVOLUÇÃO

Entraste um dia

por uma janela aberta

(que as portas estavam fechadas).

Generosamente, emprestaste-me a tua coragem.

Aceitei-a, não sem certa cautela.

Agora não me cobres ciso ou paciência

que te jogo pela janela.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 19/04/2005
Código do texto: T12127
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.