PUDERA

Pobre deste poema

que ficou no passado,

por falta de pena

ou por pouco caso.

Pobre poema este

que dizia tanto

mas a quem não deste

nenhum sonho, encanto.

Pobre deste poema

que no passado era

e que agora, pena,

só virou "pudera"...

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 21/04/2005
Reeditado em 21/04/2005
Código do texto: T12375
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.