Dormi nos braços da saudade

Quando percebi, já era tarde

A noite findou, o sonho esvaiu-se

Tudo voltou às sombras, nem o sol

Núncio da nova manhã, iluminou o dia

Mais uma vez, eu dormi nos braços da saudade

Mestra dos meus mais cruéis dissabores

Se hoje, eu vivo em horrores, culpa minha, bem sei

Quantas vezes brinquei com alguém que tanto me amou

Se hoje padeço, mereci, fui infiel, desleal no sentimento

Quando chega a noite, felicidade brota, no sonho você

É presença constante e real...Não quero a claridade

Quero apenas poder repousar nos braços da saudade