SAI DA FRENTE QUE ATRÁS VEM GENTE

Ai, eu já ando tão cansada

de tanta palavra triste,

de tanta prosa chorada,

de tanto dedo em riste,

de gente tão desamada...

Ai, ando tão desanimada

de ver tanto rosto apagado,

de tanto sorriso gasto,

de tanto e muito mau-gosto,

de tanto amor mal cantado,

que é só tristeza e desgosto...

A vida não pode ser só isso,

tão pequena, tanto nervo exposto,

só tristeza e dor, penúria e sofrimento,

tão pesada que não valha a pena .

Tem que ser mais amena,

não um seguir contando o tempo

pra saber quanto é que falta

pra acabar este tormento.

O amor não é assim tão tacanho,

só saudade, só dor, só lamento.

Amor é algo tão grande, perfeito,

que nos abre os olhos,

momento a momento,

e mostra o sorriso que a gente,

que andava tão distraído,

nem percebia que tinha todo o tempo.

Acabei de ver o Amor

passando diante de mim,

numa criança que sorriu pra mim;

numa flor pequena que se abriu

em meio a uma grande moita de capim.

Ninguém viu, era grande o capim, pequena a flor,

mas ela não sabia disso

e mostrava-se no mais completo esplendor.

A Vida então, muito teimosa,

acompanha sempre o Amor,

fez a flor pequena, poderosa,

ela é flor, seja onde for.

O Amor passeia o tempo todo

bem em baixo dos nossos narizes,

mas sempre estamos ocupados

com coisas muito importantes,

somos da Vida aprendizes,

era preciso também ser amantes.

E pensamos saber demais,

sentados que estamos em cima

do monte de dores e ais

que acumulamos vida acima,

despencando nos abismos,

descendo ladeira abaixo,

carregando nossos "ismos",

nossa enorme sabedoria...

Ai, meu Deus, eu não me encaixo,

nessa soma de misérias,

de "ai de mim, como sofro",

"pobre de mim, o que faço?"

A Vida e o Amor estão juntos,

caminham na nossa frente,

se quiser chorar, então chore,

mas sai da frente,

que atrás vem gente

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 27/04/2005
Código do texto: T13341
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.