FALTA CORAGEM, SOBRA MEDO

Há coisas no coração

das quais precisamos falar,

e é exatamente sobre elas

que estamos sempre a calar.

Por que calamos?

Por que não as deixamos ir?

Por não as compreendermos

ou por não ter como as parir?

Por não encontrarmos, exatas,

as palavras

e adequado o momento,

ou apenas por não haver, contadas,

as letras do sentimento?

Não as deixamos partir

de dentro de nós, quem sabe,

por medo de que, na partida,

levem consigo a metade

da exata, justa medida

do que nos vai cá por dentro...

Não as deixamos voar

com as emoções escolhidas

porque tal vôo nos dá

sensação de despedida,

de abandono, saudade,

nos dá apenas metade

da emoção desmedida...

Não as deixamos, talvez,

porque nem mesmo nós sabemos,

precisar com nitidez,

ou ter a menor clareza,

se o que nos vai lá no peito

é o que nos vai na cabeça,

o que é causa ou efeito,

se emoção ou arremedo...

Falta coragem, sobra medo...

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 30/04/2005
Código do texto: T13877
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.