MEU PICASSO INTERIOR

Picasso, de genialidade cósmica;

Pintou rostos destorcidos,

Metade vista de perfil

E a outra de frente.

Metade de mim

Mostra-se de perfil

Como se quisesse

Esconder-se do mundo

Não ter um sentir tão profundo

Vislumbrar parcialmente

A vida que passa

Diante de meu olhar.

A outra fração olha tudo de frente

Calcula, conjectura, entreve.

Age, reage, luta.

Sabe bem o que quer

Perde, mas também ganha.

Não se comporta como a avestruz.

Picasso, de genialidade cósmica;

Teve a sua fase azul

Tingia suas telas com cores frias

Azules, verdes, arroxeados...

Sensações de tristeza,

Distância e abandono.

Percepção de inferioridade.

Metade de mim

Tem sua etapa azul

Quer separação, solitude...

Afastamento.

A quietude traz o reconforto!

Picasso, de genialidade cósmica;

Teve a sua fase rosa

Bordava suas pinturas com cores quentes

Matizes rubros, amarelos, alaranjados...

Sensações de paixão, ardor,

Vivacidade, emoção, sensualidade...

Percepção de proximidade!

A outra fração de mim

Tem sua fase rósea

Quer vida, movimento...

Companhia, conversas, animação.

A agitação traz a alegria!

Picasso, de genialidade cósmica;

Retratava faces sofridas

Como em sua Guernica

Cores fortes, pinceladas audazes.

Formas geométricas dando contornos.

Em mim, há um Picasso interior...

Que gosta da cor, da criatividade

Que ama o ser diferente

Que se preocupa em ser mais gente!

Denise

2/7/2004