ATÉ A ÚLTIMA GOTA

Meus dedos

tocam

suavemente

este instrumento perfeito.

E embora

não entenda de música,

recebo de ti

a mais perfeita melodia.

Meus dedos

percorrem

suavemente

teus montes e tuas nascentes.

E mesmo

sem nada saber

de geografia e mapas,

conheço perfeitamente

a fluidez de tuas águas.

Minha boca

busca a tua

como peregrino

em busca da água sagrada.

E eu,

que nada sei de religião,

me consagro,

no teu líquido abençoado.

Meu corpo,

é para ti todo fruto permitido,

é todo mistério revelado,

é todo tua casa.

E quando entras em mim

tudo o que quero

é receber-te

em êxtase

até a última gota.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 04/05/2005
Código do texto: T14694
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.