Como Vai?

Rosa Pena



Te perdi
na pressa.
Não contava
com essa.

Te perdi
na confusão.
Bem que te avisei ,
para não largares
de minha mão.
E lá se foi
o nosso momento,
diluído no movimento.

Te perdi
à vista
sem prestação,
sem pré , sem cartão.
Não houve negociação.
Hoje meu querido,
se parcela até o coração.

E levaste minha identidade
meu prazer, minha vontade
meu sorriso, minha vaidade,
meu prazer, minha intimidade,
minha única verdade.

Deparo agora contigo
e daquele caso antigo ,
restou um impessoal:
"- Como vai?...
Abraços no pessoal."



2004


Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 05/05/2005
Reeditado em 01/10/2008
Código do texto: T14952
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.