Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FANTASMA-POETA




Fez-se a luz
Da aurora contida numa vida

Fez-se a poesia
De uma vida contida numa aurora

Foi-se a luz
E a alma do poeta vagueia
Pela estrada que margeia
As sendas do umbral

Foi-se o poeta
E as poesias choram
Junto às mulheres
Que por ele imploram

É preciso deixá-lo ir
Ainda que amado
Pois espírito tão nobre
Não pode ser contido

Que ilumine os céus
Que apague o fel
E derrame sobre elas
Todo seu puríssimo mel

Fantasma-poeta, ser errante
Das profundas emoções perdidas
Vai além das vozes noturnas
Muito além de uma vida
No céu brilha e luz da lua
Aqui na Terra, há de brilhar luz tua
Mas como fantasma ,
o poeta não fagulha
e como poeta, virou pomba
que não mais arrulha
Denise Severgnini
Enviado por Denise Severgnini em 06/05/2005
Código do texto: T15192


Comentários

Sobre a autora
Denise Severgnini
Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul - Brasil, 61 anos
11345 textos (953843 leituras)
16 áudios (8943 audições)
311 e-livros (34596 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/20 08:22)
Denise Severgnini