Inusitado

Rosa Pena 


De longe olho meu sonho inusitado.
Pretensiosamente chamo de namorado.
E se não te domino, então contemplo.
Teus poemas, cada verso suave espuma.
Dentro de mim o amor cria movimento.
Quebra-se a estátua de bruma.
Meu corpo todo se apruma.
Sou tua neste momento.
Morre a Rosa fria e sombria
nasce um botão de pura alegria. 



2002

imagem Salvador Dali
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 19/11/2004
Reeditado em 31/10/2008
Código do texto: T158
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2004. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.