ENTRE DENTES, ENTREMENTES

Você não pediu licença

e eu também não dei.

E pra ser sincera,

se eu daria, nem sei.

E pra falar francamente,

também eu não pedi.

E também não esperei.

Você só me olhou,

e bastou: eu sorri.

Sorri dentes cheios

de palavras de carinho

que viviam travadas

num cantinho,

com receio.

A cada flechada

que teu olhar disparava

meus dentes sorriam

novos carinhos.

E foi deste jeito,

entre olhares,

entredentes,

entre dentes,

entre mentes,

entrementes,

de mansinho.

Você não pediu licença.

Tampouco eu pedi.

Entre dentes, entrementes,

estamos os dois.

Aqui.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 09/05/2005
Código do texto: T15981
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.