DO LADO ESQUERDO

Coisa estranha.

A primeira

e última vez que a vi,

já faz muito tempo.

Ela tinha cabelos

estranhos

de quem

não lembrava mais

de arrumar.

Ela estava

do lado direito da rua.

Eu, do lado esquerdo.

Da sua.

Canhota,

torta.

Ela tinha

olhos de

quem se esquecia

de si.

Pensei em falar.

Emudeci.

Tentei

não olhar.

Não consegui.

Ainda

tenho os

olhos estranhos

que ela

trazia escondidos

refletidos

nos meus.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 10/05/2005
Código do texto: T16120
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.