NO DESCASO MORRE O AMOR...

Vejo por entre os dedos

Escorregando sonhos e ilusões...

Crepita a chama de um amor

Esvaindo-se no descaso...

Afoita por viver

Tento segurar as horas

Os dias e momentos felizes

Ao longe o lago de águas cristalinas

Onde banhei minhas esperanças

Tudo em vão!...

Firmam-se na impessoalidade as relações

Ardente o coração que tanto amou

Sente as lágrimas rolando...

Minhas mãos pequenas

Tremulas...

Ansiosas, tentam segurar o sol,

Mas o dia acabou...

No poente vai declinando

Não há volta

Detrás dos montes vai se escondendo

Sem olhar atrás

Segue rumo a outro amanhecer!...

Sem lembrar do tanto que ofertei

O dor vai calando fundo na alma

Matando aos poucos o que foi um grande amor...

Santo André

SP-BR

11.05.2005

CARMEN CRISTAL
Enviado por CARMEN CRISTAL em 11/05/2005
Reeditado em 11/05/2005
Código do texto: T16356
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.