Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SERVIÇOS GERAIS



Eu vi um homem guardando os ossos de um Imperador.
E os dele, quem os guardará?
Seu túmulo será de vidro e transparente.
Encostado nele, bem rente.
Perguntarão: Era isso? Um homem é isso?
Eu vi muitas pessoas perguntando
Como eram os ossos do Imperador.
E o homem que os guardava, cheio de vida pela morte,
Levou-os por um corredor que tinha fim.
Sorriu seu sorriso de vida e mostrou o resto. E a morte.
E muitos disseram...oh...e se negavam a ver os ossos,
Ossos são coisas de homens humanos
E o que viam era um ósseo Imperador.
Os ossos, cansados, disseram: Deixem-nos em paz!
As pessoas suspiraram e sentiram pena.
Um Imperador fala depois de morto mas já não manda mais.
Sim, o guardador de ossos o visita todas as noites
E horas passa a ouvir e escutar histórias
De um reino acabado.
Sorri seu sorriso de vida e, zeloso, fecha o caixão.
Persigna-se, benze-se, arruda-se, vai embora cheio de si.
Afinal, guardar a morte dá valor à vida.

Preto Moreno
Preto Moreno
Enviado por Preto Moreno em 13/06/2006
Código do texto: T174960


Comentários

Sobre o autor
Preto Moreno
São José do Rio Preto - São Paulo - Brasil
9216 textos (124836 leituras)
23 áudios (507 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/03/21 15:38)