ENTÃO É ISSO: SOU POETA DO ACASO

Então é isso:

agora que aqui estou

eu

sozinha

e apenas.

Eu

e o teu sorriso

abusado a minha frente,

me enrosco no aconchego

deste espaço de silêncio.

E penso,

e decido

e reflito.

Não te farei mais verso

nem falarei mais deste amor

escancarado e bendito.

Então é isso:

sou poeta por acaso,

poeta do acaso,

do pode ser

se puder...

Então é isso:

estou sem pauta,

estou muito puta...

Não, também não é isso,

(que isto serei mais tarde

quando chegares).

Então é isso:

não te direi mais "bonito"

que me levaste a poesia por ora

e por ora, então, me demito.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 19/05/2005
Código do texto: T18074
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.