os nardos...

os nardos enfeitando espaços em que me deito e acordo...

...na exuberância incontida da noite, relampejam emoções, acordam fantasmas...

...quem me dera, rememoriar noites meladas, voltar a ser colmeia de açucares...

...os nardos, por aí...dispersos, espalhados pela brancura dos lençóis onde cansaços divinos sonham ilusões, prazeres vestidos de novidade...

...a noite de todas as noites, repetida e abençoada, é santo altar onde a divindade cresce e a primavera acontece...

...os nardos enfeitando espaços em que me deito e acordo, magoados pela ausênca, feridos pelos cardos...