DO MAU USO DA PALAVRA

A palavra é meu filho:

parte de mim,

e toda inteira

volta sempre,

constante,

mas não rotineira.

Há que se respeitar

a palavra

como se respeita a prole.

A palavra é minha mãe.

E como tal

tem sentimento,

autoridade na fala.

Quem não percebe,

faz melhor

quando se cala.

A palavra é um embrião.

De poesia, de emoção.

À espera da mãe

que a ponha no mundo

como um sinal de amor.

Sejamos mães de verdade.

Não usemos a palavra,

não a botemos no mundo

como forma de desabafo

ou por total falta de assunto.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 21/05/2005
Código do texto: T18827
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.