Queixa

Angélica T. Almstadter

Abaixe teus olhos, és poeta!

Não tens razão, és poeta!

Te enamorastes do sol e das estrelas, pobre poeta

Vives no mundo da lua

Não te perdôo poeta! Não é não!

Pois amas além da conta

Vives apaixonado pelas pessoas e pela vida

Odeio-te poeta!

Pois repartes teu amor com tantos

Não me amas somente...

Tua alma é cativa do amor

Tua liberdade me incomoda poeta!

Morro de ciúmes dos teus segredos e medos

Do teu verso, do teu mundo

Teu brilho me ofusca, poeta

Fico aqui plantado...

E te vais ao infinito. Sofro poeta!

Eu te invejo poeta! Ah! E como!

Por mais que te prenda e amordace

Te repreenda e censure

Escapa-mes pelos pensamentos...

Angélica Teresa Faiz Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Faiz Almstadter em 27/05/2005
Código do texto: T20149
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.