Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ESPELHO DE CLARISSE

Quando seu gesto
em outro rosto
me sorrir com o mesmo
jeito de você,
vou olhar-me no espelho
e dizer-lhe: —“Filha, volte nos fazer!”
sei que sua mãe é pouca,
sua mãe é muita
ela é só nossa:
minha e de você.
Ela tem sua forma
tem o mesmo jeito
que dorme em você.
Sem mais escuridão
ela nos fará brilhar
para a claridade.
O cofre do choro,
guardado há nove meses,
mostrou-nos o valor do porta-lágrimas.

 
Quando toda alegria
até noutro beijo
me sorrir nos mesmos
lábios de você,
vou dizer ao meu espelho,
tão alegre: —“Filha, volte nos sorrir!”
sei que sua mãe é meia
sua mãe é inteira,
ela é toda nossa:
minha e de você.
Ela se formou mulher
com o mesmo jeito
de menina ser.
Sem noites perdidas
ela se fez em despertar
para não mais sonharmos.
O cofre do choro,
guardado há nove meses,
segredou-nos o berrar do porta-sorriso.


Tão pequenina e calada,
de boca banguela, careca,
e com pelinhos no antebraço,
ela é nossa Clarisse, filha única,
lembrada, delicada em traços-mãe.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 30/05/2005
Código do texto: T20923
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
662 textos (20974 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/20 13:09)
Djalma Filho