Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUE ESPERO - Resposta a "O QUE ESPERAS"

O QUE ESPERO

Cdor Heraldo Lage

Resposta a “O QUE ESPERAS” de Iracema Zanetti

(segue texto ao final)

 

Ah! Minha querida Musa, doce poeta Yareah, Ceminha

Veja o porquê de tanto disparar meu simples coração

A causa é a tua existência caminhando junto a minha

Com teus textos que para sempre me acompanharão.

 

E é por isso que te digo aqui e agora

Que esta homenagem que de ti recebo

Em versos que haviam de existir outrora

Ora se expressam e ainda mais os percebo

 

Aqui te digo e repito sem qualquer medo

Que encontro em teus textos, o aconchego

De poder saber que sou parte do teu enredo

O que mais te posso dar senão meu chamego?

 

Para que te sintas da mesma forma acarinhada

Por mereceres ser da poesia a Musa mais amada

Não por um, mas por todos trovadores, idolatrada

Tanto mais por este humilde poeta, um quase nada!

 

Passo ainda a delinear-te modestos textos que me são caros

Para que me possa sentir parte dos teus, tão lindos e raros

Se te dizes pronta à espera de meus mais ínfimos rabiscos

Dás-me a certeza de viver n’um delicioso oásis, sem riscos

 

Embriagado me deixas tu, transbordante deste imenso amor

Ao ler tuas palavras repletas de mel em teus tantos carinhos

Que me fazem, extasiado, sentir-me astro em grande fulgor

E nada mais desejar na vida que seguir contigo os caminhos

 

Se ao meu lado, estar quiseras, para receber, simplesmente

Como beijos meus a própria brisa dos céus, que assim seja!

Mire então no firmamento, a mais brilhante estrela cadente

Saberás! Virei ao teu encontro, de onde quer que eu esteja.

 

Os reversos calam, marcam, ferem, mas não profanam templos

De um amor autêntico, firme, livre, belo, que sobrevive pujante!

Gera-se Uma, de duas vidas fortalecidas, que concede exemplos

Dois mensageiros da paz, unidos, transformados em Um infante!

 

A simbiose que nos gerou Uma, de duas gêmeas almas

No ninho que tanto nos conduziu a experiências calmas

É a mesma! Somos metades de uma paixão estimulante

Explodindo em clímax no berço deste amor alucinante!

 

Não há nada que supere um sentimento verdadeiro

Nem percalço que o destrua quando é pleno e forte

Terás contigo meu amor, não metade, por inteiro

Nada nesta vida poderá transformar esta sorte!

 

Se em Éter eu me tornar algum dia, te alegres, não lamentes

Certa, estejas de que lá no alto, em luz estará transformado

Alguém que em terra te mirou, viveu, e poetou deslumbrado

Rabiscou inspirações poéticas... Faíscas de nossas mentes!

 

Que te sintas premiada, por este humilde aprendiz

Que juntou letras e singelezas em tua homenagem

Que buscou em teus textos essência da Força Motriz

Que te leva na lembrança como a mais rica bagagem



Iracema, Ceminha, Yareah, Mel, poetisa, musa, tão querida minha

Poetar para ti é prazer, deliciosa saga, embora apenas uma bobagem

Recatadas letras da emoção que guardada no fundo do coração eu tinha

Silentes, para que te conduzisse em meus versos como numa carruagem.





Heraldo Lage

http://www.hlage.com.br

Amigos Verso & Prosa

Em 16-04-2005 – 21:15 hs.



 

O Que Esperas

Iracema Zanetti



Ao Poeta e Amigo Cdor Heraldo Lage



 

Sempre pronta à espera de teus rabiscos

Esta pequena criatura encantada com teus versos

Embriaga-se de amor ao lê-los!



Queria estar a teu lado recebendo dos céus a brisa

Como se fossem teus beijos!

 

De reversos estando a teu lado, esqueço.

E à vida darei às costas se ela insistir a frisá-los!



Mas darei minha alma a ela se me oferecer somente

O teu amor o mais puro sentimento que senti

Desde que Sou!

 

Se eu tiver que sofrer buscando o que desejo

Não me ligarei a tormentos!

Não deixarei que a vida me teste!

Sentirás em mim minha missão na Terra

Vim para aliviar teus sofrimentos!



Não mudes teu jeito de ser

Gosto de ti de teus riscos e rabiscos

Transformados em versos!

 

Poeta por que sofres ao ver passar o tempo

Se as flores são mais amadas

Quanto mais efêmera sua vida!

 

Percalços abrem feridas em nosso corpo

Ao deixarem nele suas marcas tatuadas!

No cerne rijo encontra-se a seiva que nos estabiliza!

Mas a alma é o centro do equilíbrio!

 

Seguiremos sempre adiante não estancaremos

Nem retrocederemos no caminho!

No horizonte onde os sonhos se diluem

Ou talvez se compactem, acertaremos os passos!

Sempre esperançosos... Sem desalento!

 

O silêncio se fará preciso para que nossas preces

Em voz suave e pausada sejam ouvidas

Além das mais longínquas galáxias!

Nosso amor resplandecerá em glória

Na galáxia hospitaleira que abrir portas e janelas

Estendendo as mãos nos recebendo!

 

A maior realização é a partida

Não para a morte, mas para a vida

Que nos fará caminhar de braços dados

E o desejo de crescer não medirá,

O tamanho da lida!

 A guarida confiável está em nossos corações,

Nele faremos nossa morada em qualquer ciclo de vida!

Sempre de mãos entrelaçadas num gesto de suave carinho.

Esta foi a hora profetizada para abrirmos portas e janelas,

E nunca mais fechá-las!





Ceminha

Iracema Zanetti
Cdor HeraldoLage
Enviado por Cdor HeraldoLage em 18/06/2005
Reeditado em 16/11/2012
Código do texto: T25573
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Cdor HeraldoLage
Santos - São Paulo - Brasil, 70 anos
46 textos (3814 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/09/21 17:19)
Cdor HeraldoLage