O homem que eu amo

O Homem Que Eu Amo

Angélica T. Almstadter

O homem que eu amo tem olhos de mar,

Tem a placidez estampada nos lábios,

Jorra melodias nos poetares,

É quieto como as noites outonais.

O homem que eu amo me observa silente,

Reserva a mim seus doces sorrisos,

Nas falas pausadas, tranquiliza minh´alma,

Tem a sabedoria que traduz na calma.

O homem que eu amo sabe se fazer amar,

Mesmo perdido entre os alfarrábios,

Mergulha inteiro nos meus mares,

É o reflexo certeiro dos meus madrigais.

O homem que eu amo é um menino...simplesmente,

Que passeia livre entre os narcisos,

Esqueceu de crescer, rodopia na minha palma;

Assinando com magia em mim, sua alma.

Esse homem que em mim mora,

Conhece do meu coração cada palmo,

Ouve e reconhece meus sussurros,

Aceita meus silêncios, ouve calado minha voz.

O homem que eu amo, minh´alma devora,

Acena em meus dias como se fora um salmo,

Que me suscinta vencer e vencer em urros,

Me empresta força ante o algoz.

O homem que eu amo não carece explicação,

Basta a mim simplesmente o sentir,

Basta-me saber que ele existe,

Basta que eu ouça o pulsar do seu coração,

Basta o meu amar ele permitir,

Basta ele saber que minha paixão não desiste.

Angélica Teresa Faiz Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Faiz Almstadter em 30/01/2005
Código do texto: T3023
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.