Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cidade


Não é justo comtigo;
Não é justo comigo;
Não é justo com você...
O povo vive oprimido por não saber escolher.

Ai fora tem diversos partidos;
Ai fora tem diversas religiões;
Ai fora tem vários caminhos, que podem te levar onde começa o mundo ou onde começa a perdição.

Não adianta o povo olhar o espelho e sorrir como qualquer sorriso;Com qualquer beleza;Com qualquer ganho de papel ou metal;Com qualquer qualquer ou se isolar.

Não adianta acreditar naquilo que não se vê, mas pode-se ouvir.
A ação precede para se ter certeza.Pois quando se estar esquecido, miserável...Precisa-se de alma para não se deixar comprar.


A conversa é boa;
A promessa é ilusória e
A verdade fica confusa.
Não temos que hesitar...Afinal, dessa cidade maravilhosa...Somos a liberdade.

Não adianta relutar;
Não adinta querer enganar, com os pés no chão somos cidadãos.É isso que tem que ficar.

Não adianta mentir, pois que tudo volta contra ti e Ninguém pode ser maior que o seu coração.
Não há lugar nesse vão.
A riqueza que ostenta essa selva, é o verso da vida que se lateja na hora em que alguém começa a trabalhar.

Meu amigo, somos desse lugar e
O buraco no chão;
O buraco no chão...é igual para todos;
Mas sempre haverá alguém que dirá não.


Engraçado é ver pessoas querendo ser a roupa,
A cor, o ar e o sol...
As vezes, querem ser a marca.
Ah isso traz um desgosto, que nem adianta comentar.


Nesta vida não adianta óptar, em ser diferente, capitalista.Pois que nada se consegue mudar. A essência de uma luz a iluminar... Está em saber amar.E não se precisa de muito para agradecer a voz de quem precisa alimentar a fome.

Mas quem sabe só tirar?...
Quem saberá?...

A vida em si sempre se renova;
A morte em ti só o consumirá.

Não vale a pena chorar.
A dor não passa...E a gente precisa de pão, mais do que, de desgraças.

Nós precisamos de mãos, mais do que de cerras;
Precisamos mais de filhos do que de luto,
Precisamos mais de lutas do que de espera...Pois o tempo a toda hora passa, com ele se vão as nossas esperanças, forças, terras e raça.

Nós precisamos parar de só reclamar,
Entender que ao amanhecer é um novo dia, e certamente tudo podemos fazer juntos para que esse novo tempo seja grande.
Alberto Amoêdo
Enviado por Alberto Amoêdo em 30/01/2007
Código do texto: T364069
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Alberto Amoêdo
Macapá - Amapá - Brasil, 54 anos
1571 textos (24253 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 10:15)
Alberto Amoêdo