Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


No poder covardes armados...
Ana Maria Brasiliense


Num revoar assustados
somos como andorinhas,
debatendo asas perdidas...
Sobre mausoléu mais um caixão descendo.
Lágrimas como rio corrente ao mar 
vem lavar a dor.
Na incerteza do verão,
sentimos o frio do inverno 
na solidão do descaso...
Não é por acaso
que ficamos sem direitos na agonia perdidos, 
nas mãos armadas de quem detem 
o poder covardemente. 
Sangue escoa nos bueros da vida,
Não há mais verão nem mesmo primavera.
Apenas inverno no inferno 
que nos deixaram à vida
E nessa lágrima sentida vejo em corda retorcida
mais um caixão descendo a úmida terra
um inocente ja sem vida


stos 16/05/006
hr: 02:05 






Ana Maria Brasiliense
Enviado por Ana Maria Brasiliense em 25/02/2007
Reeditado em 22/03/2009
Código do texto: T392643


Comentários

Sobre a autora
Ana Maria Brasiliense
Santos - São Paulo - Brasil
1255 textos (62272 leituras)
19 áudios (1820 audições)
8 e-livros (611 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/20 12:00)
Ana Maria Brasiliense