Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Santa loucura

Você já parou em pleno centro
Da cidade do Rio de Janeiro,
E ficou numas horas tão paradas,
Alma errante e o coração ausente, por inteiro,
Do burburinho das pernas apressadas,
Só para ouvir  as músicas dolentes
Que dos aparelhos de som, se esvaíam, encantadas,
De uma certa loja de eletrodomésticos?
Já fiz isso tantas vezes, com esta minh’alma tonta,
Que já perdi a conta!...

Você já ficou longo tempo,
Olhos molhados,
Garganta embargada de emoção,
Lendo versos que falam de amores
Tão grandes e tão perdidos,
Como grandes e perdidos
Sempre foram os meus (des) amores?
Já fiz isso tantas e tão caras
Vezes, que lágrimas se tornaram pérolas raras!...

Voce já sonhou que entra numa máquina do tempo,
Volta aos seus vinte anos e com a máquina a girar,
Avançando de novo em anos, vai pedindo perdão
A todas as mulheres que não soube amar?
Sonho isso agora, e sabendo que esse sonho
Somente minha loucura prova,
Descubro que o meu amor é muito velho
Mas a minha emoção do amor é sempre nova!

E, de novo, de bela musa inspirado, sei que bem pouco
Certo do juízo estive numa solidão a penar...
E já me declaro contente por voltar a ser louco,
Desta loucura santa de amar!...





Antonio Maria S Cabral
Enviado por Antonio Maria S Cabral em 03/03/2007
Reeditado em 26/12/2008
Código do texto: T399456
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Antonio Maria S Cabral
São Luís - Maranhão - Brasil
1298 textos (171059 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/10/20 17:14)
Antonio Maria S Cabral