Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A BEIRA DO CAMINHO

Tu que sentastes à beira desta estrada
Fadigado, triste, amargurado,
Na solidão dos que caminham sós;
Desiludido pela peça do destino,
A recordar abandonado peregrino,
Do berço lindo que te agasalhou...

Tu, que fadigado e que
Imerso em sofrimento chora,
No palpitar de longuínquo pensamento
Que te provoca  sair do mundo de agora...

Não te esqueças que a dor liberta a alma
É renuncia, das mundanas lidas,
É o alívio para o despertar...

Tu que aí sentado a massacrar o corpo fraco,
Em sofrimento esquece o que é viver...
Desnude esse marasmo a toldar - te o
Pensamento e busque em algum lugar
Neste momento a alegria que acercava - te o ser.
Lembra - te com carinho da criatura delicada
E imbatível a conduzir-te  pelas
Mão desde o nascer...

Alguém a esperar - te com fervor do afeto
E em oração noites infinda passa em claro,
A relembrar o tempo em que criança fora
Querendo ver – te em agrado no momento
Há tanto que do lar tu fostes e que não
merece sofrer este tormento.

Revive os dias em que te acalantava,
Quando entre  mantas a dormir sonhavas
E abraçava-te na efusão do infinito zelo.
E tu a sorrir davas os braços
Ao sentir o ardoroso coração
Festivo a segurar- te no abraço acolhedor...

Olhinhos ávidos pelo seio amigo,
De quem queria saciar a fome
Do sôfrego e destemido gugunar
de seu rebento tão querido...

Abandones correndo a margem desta estrada,
Não curves mais à solércia dos malditos
Que na ilusão do vício te envolveram.
Busque naquele mesmo peito hoje cansado
A alegria que vivias no passado quando
Criança  toda suja recebia o abraço da
mãe querida que sempre te acolheu.
TEACHER
Enviado por TEACHER em 15/03/2007
Reeditado em 20/05/2007
Código do texto: T413605


Comentários

Sobre a autora
TEACHER
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil
158 textos (8295 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/20 12:20)
TEACHER