Era uma vez...

Angélica T. Almstadter

11-02-05

Era uma vez um menino que ouvia burburinhos

Que conhecia o segredo dos pensamentos

Planava sobre os moinhos de vento

Era só um menino de olhos brilhantes

De sorriso limpo e mãos sinceras

Solto na respiração da cidade

Sentindo o medo das escadas

As dores debaixo das marquises

Sumindo no meio da fumaça

Era uma vez um menino que nunca cresceu

Ficou guardado nas dobras da alma livre

Esperando o alvorecer

Era só um menino escutador

Que tinha olhos de confiança

Não sabia do seu próprio hemisfério

Nem o porque do pacto com a aliança

Se fez homem de alma criança

E na fala pausada dedilhou seu mistério

Um que nunca soube descrever

Mas sabe ser o seu ministério

Era uma vez um menino que sonhava colorido

Que queria curar as criaturas

Ver a Terra solta no infinito

Parar o anoitecer nas lentes

Eternizar luares e poentes

Descrever nas telas seu próprio grito

Virou um poeta de Gaia

Porque aprendeu sobre o cio da terra

Onde ela revira a saia

E como ela berra em cada semente que enterra

Angélica Teresa Faiz Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Faiz Almstadter em 21/02/2005
Código do texto: T4890
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.