Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Moinho Inválido

Moinho Inválido

O vento se foi em agonia
Rechaçado, perdeu-se na paisagem
O Moinho se lança em autonomia.
E tenta se mover sozinho .
Para que precisa de vento, afinal ?
É independente. Experiente, esse Moinho.
Conhece as sombras do bem e do mal.

Nada lhe falta no caminho.
Pode usar o poder das mentes.
E sua força altiva, o torreão.
Também a fé que move as gentes
Mas o esforço é tamanho e em vão.
Sente-se tão só, o velho Moinho.
E lhe dói profundo a hipótese do não.

Vê a frágil figura que lhe vai por dentro
E nada sopra ânimo às suas pás
Simplesmente não há movimento.
O Moinho fica mudo...remoendo...
Pede ao horizonte notícias do vento.
Sem ele, lhe reflui cada momento.
E lhe arranha tudo o que seja jamais.

A estrutura esmaga o solo estático
Enquanto o sal lhe tange a ferida.
O ar seco vai rachando os tijolos.
O Sol de napalm incinera os olhos.
Trespassa o líquor vítreo e apático .
E a ausência daquilo que negou enfático
Lhe subtrai displicente o carrossel da vida.

E ecoa ao longe seu triste lamento.
Moinhos sempre precisam de vento...

Claudia Gadini
16/08/05
Claudia Gadini
Enviado por Claudia Gadini em 10/09/2005
Código do texto: T49267


Comentários

Sobre a autora
Claudia Gadini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
319 textos (55622 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/05/20 09:11)
Claudia Gadini