Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Xote e baião

(*)

Eu peguei o bonde andando
e me agarrei como pude
pra dizer em verso rude
o que não sei, até quando...
por enquanto, me virando,
eu vou cantando demais
as modas dos nossos pais.
Mas vim responder ao mote:
Cante o baião, dance o xote,
Vamos ver quem pode mais...

Dominguinhos, Gonzagão,
junto a Humberto Teixeira,
andaram até pela feira
apresentando o baião.
Sei que aqui por este chão
eles são os maiorais,
já são até imortais
na resposta a este mote:
Cante o baião, dance o xote,
Vamos ver quem pode mais...

Vamos cantar um xaxado
ou um xote agarradinho,
ouvir Elba e Dominguinhos
num martelo agalopado
cantando pra todo lado
o que o nordestino faz
aqui e noutros quintais
pra responder ao seu mote:
Cante o baião, dance o xote,
Vamos ver quem pode mais...

Se não quiser, dê licença,
eu vou cantar noutra praça,
eu vou mostrar esta raça
e difundir minha crença.
Mas quero a sua presença
junto a mim nos carnavais
ouvindo os irmãos Morais
e respondendo a seu mote:
Cante o baião, dance o xote,
Vamos ver quem pode mais...

17/05/2003

(*)Digitado no Bar dos desafios do portal Ponto de Vista Literatura.
Paulo Camelo
Enviado por Paulo Camelo em 13/09/2005
Código do texto: T50025
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Paulo Camelo
Recife - Pernambuco - Brasil, 72 anos
936 textos (290370 leituras)
36 áudios (11172 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/07/20 16:06)
Paulo Camelo

Site do Escritor