Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 
É BOM LEMBRAR...


...Que o rumor na multidão
é um eco de um grito interior,
tipificando reais díspares* em profusão,
numa celeuma de audição e sem cor;

meramente traduzida em fantasia,
melancólico traje de um Pierrot,
  sem o amor de sua Colombina...

Somente um bradar da argüição*,
onde tamanha ansiedade desatina,
numa dissimulada e camuflada solidão...


Estar em uníssono com o frenesi urbano,
não se compara por estar  acompanhado;
é um puro e controverso engano,
devendo não ser esquecido e sempre lembrado.

Ladear-se de rumores e vozes,

em imenso alarido sem sentido,
tentando ouvir o próprio nome,
sem jamais ter sido proferido!?...

...É o mesmo de rebuscar em alguém,
constatando por si próprio,
aquilo que não mais se tem,
sobejando amargura num sentido óbvio;

dum fato do destino em desdém,
buscando no contingente simplório,
claudicando e sem encontrar ninguém,
optando melhor sendo um displicente notório.

Situar-se num sentido anti-horário,
burlando seu lado desacompanhado,
redundando ser um solitário otário,
esperando em vão quem nunca vem,
melhor não fazer da vida um calvário...

''Carpe Diem!''

- Olá!
-Lendo?...
- Indo ou chegando, heim?





*











* Díspares 
- Que não têm pares; diferentes, desiguais.


*Argüição (aqui com ''trema'')
- Ação ou efeito de argüir (acusar ou denunciar).
- Argumento fundamentado que,
ressaltando os prós e contras em uma discussão,
é utilizado para defender uma ideia ou provar algo. 
- Ação de repreender,
censurar e acusar 
(algo ou alguém)


Celeuma*
 - O barulho feito pelas pessoas enquanto trabalham juntas.
 Excesso de agitação; algazarra ou tumulto.

Figurado. Discussão veemente e apaixonada:



''CARPE DIEM''
CURTA O MOMENTO 2
APROVEITE O DIA 1










 














 




 
Visitem as páginas da

"CÔRTE DE GOROBIXABA"

(lugar de gente feliz)
 


Luisenko Facurinsky
Ministro do Silêncio do Reino de Gorobixaba



SELO REAL

*

"A contemplação interior do Silêncio 
nos conduz à
perfeita harmonia exterior!"

*
 

















Sinta-se à vontade quem quiser
expor seus textos como

INTERAÇÕES:


(agradeço antecipadamente)

BEIJOS POÉTICOS!
¨






























33952-mini.jpg

 Zuleika dos Reis

*


Caro...


"Melancólico traje de um Pierrot
sem o amor de sua Colombina..."

E lá vem o mítico triângulo
evocado pela pena do poeta
e o poeta também diz:
- e isso toca fundo!

-  "Situar-se num sentido anti-horário"
Andar contra o relógio...
Recapitular-se...
Ler-se como a um livro
de repente imóvel.

Ah, poeta, meu amigo,
sempre terno cavalheiro!

Que estrelas te brilhem
e te iluminem
na precária,
sempre precária noite.




















Mestre das

Trovas Irreverentes


(incomparável)

 
LEIAM-NO E CONFIRAM!
 
 
 
Brazilio

BRAZILIO

*


Na cadência dos teus versos
que jorram, sem borbotões
juntam-se sentidos dispersos
como só o Luiz (F)az de Camões...

*


RÉPLICA / FACURI

Facuri
AO MESTRE
DON BRAZILIO:


Que seria de nosso universo
sem tua trova elegante?
Um Céu puro e sem verso,
ou Inferno de Dante?

*






















Amigo, Mestre,
Poeta e Trovador

86826-mini.jpg

 Antonio Fernando Ribeiro

*


Falar o que diante de tanta beleza
 Versos lindos sábios, profundos
 De intensa e profunda agudeza
 Que nos transporta a outros mundos
























Minha querida
menina-poeta



 Sandra Flor

*


"É bom lembrar..."

que devo igualmente lembrar
vale aqui redundar
para que se possa fixar.

Nesta celeuma de nuances a fim
é possibilitar encontrar afins
desvaler minha rigidez geral
fixada em meu íntimo...isso é natural?

Solitárias noites pondero
em luas, divago-me sem exagero
a razão toma-me como um rodeio
esvaindo-me sem o menor zelo.

Modificar sei que é preciso
amar-me é o primordial começo
abro-me para a vida com belo sorriso
de mim para mim companhia tenho.

Quando desta etapa for vencida
aberto estarei para qualquer investida
sem medo e fortalecido de coração
entregarei-me com amor e forte emoção.

Para tanto, no fluxo previsto
no caminho certo me refojo
ateio-me a este risco
com desvelo e intenso arrojo.




























Minha
querida amiga -
Rainha das
Trovílias, Sonetos e
Rondéis


3815-mini.jpg

SanCardoso

*



PALHAÇO SOLITÁRIO
(RONDEL)


 Na irreverência do solitário palhaço
Que se pinta para esconder a tristeza
Ao enganar seu pobre coração de aço
Na triste fantasia que não trás clareza

Solitário em uníssono fora no espaço
O alarido sem sentido cria estranheza
Na irreverência do solitário palhaço
Que se pinta para esconder a tristeza

Triste solidão que não refaz o cansaço
No anti- horário situou-se a incerteza
Ao ouvir o seu nome sentisse firmeza
Engano cruel que se desfez no abraço
Na irreverência do solitário palhaço






























MarySSantos


MARYEVA SANTOSINSKY 
Ministra das Flores do Reino de Gorobixaba


SELO REAL

*


FILETES MADRUGAIS


o que seria de mim
se filetes não refrescassem
os vincos ardidos
dos dias que não te tenho?

encarquilhariam os sorrisos grogues
que penduro nas teias da solidão
e os olhos,
ah, estes olhos
que purpurizam noites
esbugalhados e afoitos
(sempre picotam espessas névoas madrugais)
tantas
tantas
ah, trincariam
e os cacos ficariam nestas mãos
para o tato fazer a visão
de tudo que foi visto em oração

tua vinda intempestiva
rasgando o véu
que mumifica os dias
de muitas esperas

*


EM CO-INTERAÇÃO A ESTE
TEXTO DA AUTORA:



101068-mini.jpg

 Tony Bahia

*


Mumificados e brilhantes versos,
ao efeito do Sol e do Vento...

Quase chuva, quase chama, lodo e grama.
"Assim caminha a humanidade"!,

Florida nos jardins da poesia.
Inspira, transpira, todo suor que vem de dentro
em lágrimas de sal e cristais,
quando se escreve-descreve-versos,
nos sons poéticos da poesia...

Como se deitasse nua ao relento
para acasalar com os luares dos amores eternos.

A Lua tímida pela rara beleza
dos outros órgãos em outros planetas,
quase morta, ressuscita.

Ondas fazem labirinto na caverna clara
e escura dos caminhos.
Pássaros fazem ninho.
Flor renasce quase morrida.
Num último suspiro, brindo à vida.

*
















COMENTÁRIOS ANTERIORES:


 
147807-mini.jpg
25/11/2013 16:12 - Wotson de Assis
Majestroso poema meu amigo, que qilate tu tens. Verdadeiro Mestre!


 
126385-mini.jpg
07/01/2013 23:04 - Marinez Novaes
Muito lindo,reflexivo,forte!Parabéns poeta!


 
108132-mini.jpg
31/08/2012 22:37 - maria luiza bremide
To chegando!To correndo pra chegar me espere .Beijos no seu coração lindo.


 
109553-mini.jpg
16/06/2012 17:19 - Sertanejoretado
Belo poema digno dum mestre. Meu abraço sertanejo,


 
103124-mini.jpg
06/01/2012 02:17 - Elio Filho
Facuri, adorei este poema! Texto de profissional! Já favoritei a sua página. Eu estou só começando, meus textos são bem amadores, e escrevo muito esporadicamente. Sou muito mais leitor que escritor. Há muita gente que se sente só no meio da multidão... Muito obrigado pela dica! Continue escrevendo, sempre! Os leitores do RL agradecem! Abraços.


 
100572-mini.jpg
10/11/2011 00:09 - HERMINIA ROHEN
OI, AMIGO MEU. ENTENDO CADA LINHA DO SEU POEMA! PARECE QUE O "ACASO" O RESERVOU PARA LÊ-LO, PARTICULARMENTE HOJE. COM CARINHO...



 
29/10/2011 13:53 - Terê Arceles [não autenticado]
Um ser solitário em meio á multidão...Nem por isso se deixa abater...Dá um drible na tristeza,estampa um lindo sorriso e desdenha a solidão...E ainda grita:Vai procurar quem te quer!O escuro tá doidão atrás de você..Vão os dois se f.... QUEM MANDA AQUI É O FACURI! BEIJOS QUERIDO!


 
98449-mini.jpg
22/10/2011 02:33 - Hellga
Oh, mon bijou, arrêt! beijos e mais beijos pra te alegrar.


 
97593-mini.jpg
19/10/2011 16:45 - Helenynha
Muito bom. Adorei. Bjus


 
16/10/2011 20:01 - Ágda [não autenticado]
Olá, tudo bem? Indo ou chegando um texto filosófico, e me sinto no sentido anti-horário, sempre na tal rua solitária, uma perfeita otária. Parabéns pela escrita que coloca o leitor a pensar.


 
16/10/2011 16:05 - Carlos Celso [não autenticado]
Olá, poeta Fcuri! exatamente, é bom lembrar lembrando bem, mas, infelizmente, é uma das coisas que o ser humano menos faz, até pela própri capacitação humana, você é filósofo e didata, gostei e aplaudo; grato por sua visita às minhas coisas, uma maneir simples e quase infantil de desabafo, mas compreensível; se puder, leia-me em EVASÃO http://www.recntodasletrs.com.br/sonetos/T2280257 - MINHA MUSA http://www.recantodasletrs.com.br/T2278656 (ambos estão na pág. 7); meu abraço


 
16/10/2011 11:04 - magdacrovador [não autenticado]
Querido amigo está sempre inovando. Versos lindos, bem rimados e veementes. Parabéns. Uma boa semana. Beijos de Luz.




 
Facuri
Enviado por Facuri em 02/12/2014
Reeditado em 26/07/2015
Código do texto: T5056744
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Facuri
São Paulo - São Paulo - Brasil, 62 anos
840 textos (175990 leituras)
2 áudios (757 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/08/20 14:08)
Facuri