ÚLTIMO GESTUAL

Essas mãos que apelam mudas

Ao infinito impalpável dos sonhos,

Ao horizonte de seus anseios,

Às silenciosas águas da memória,

Por um último alento tocável,

Afundam sem um adeus possível

Deixando no ar um gesto de desespero.

Otávio Coral
Enviado por Otávio Coral em 26/02/2005
Código do texto: T5230