H2O

Rosa Pena

Sou onda,
que bate e volta,
nos abrolhos
deixo a pedra redonda,
mas não  solta,
desço a ladeira,
broto nos olhos
deslizo na cachoeira.
Vou nessa.
Tenho pressa.
Não matei a tua sede.
Descarto a chaleira
fervo no micro-ondas.
Desisto de lavar nosso lençol,
fico a secar ao sol.
Não mais imploro.
Evaporo.
Vou voltar.
Outra terra?
Outro rio?
Outro mar?
Outro rosto?
Sem desgosto
não sou mágoa,
apenas água.
Incolor
sem odor
só amor.

Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 06/12/2004
Reeditado em 31/10/2008
Código do texto: T556
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2004. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.